Aprenda a negociar para deslanchar na carreira



Depois de conquistar o seu espaço e provar que é competente, pesquisas indicam o que a mulher deve fazer para ser competitiva no ambiente de trabalho

Com quase 50% do contingente profissional no Brasil, as mulheres estão conquistando cada vez mais espaço, mas ainda assim, boa parte delas ainda ganha menos ocupando a mesma função que um homem. Esta dificuldade, na maioria das vezes, é o que dificulta a sua ascensão profissional. “Esta realidade é mundial, mas pode mudar. Basta uma mudança de paradigmas e a mulher realmente lutar pelo o que ela quer”, afirma a master coach Juci Nones.

Nos Estados Unidos, apenas 1% das cadeiras de CEO é ocupado por mulheres. “No Brasil, mesmo tendo uma mulher ocupando o cargo de presidente do país, o percentual de CEOs é ainda menor. Basta abrir as páginas dos jornais para verificar que o mundo corporativo, apesar dos avanços, ainda é dominado pelos homens”, declara.

Uma das principais dificuldades das mulheres é de negociar salários. “Infelizmente, a sociedade julga as mulheres que buscam sua satisfação como agressivas em vez de assertivas.” Sara Laschever, autora do livro “Women Don´t Ask” (Mulheres Não Pedem) e “Ask For It” (Peça!), diz que mulheres são educadas desde cedo para prestar atenção no outro, nunca falar alto e nem pedir algo para si próprias.

A mulher que quer aprender a negociar, de acordo com Juci, deve considerar a conquista dessa qualidade como um treinamento diário. “Desde que levantamos da cama estamos negociando alguma coisa com alguém, seja no trabalho, com o marido, com os filhos e até com a empregada. É importante aprender a fazer escolhas justas para todos. Juci que é autora do livro “Viva o seu melhor”, afirma ainda que é preciso potencializar nossa autoestima e autoconfiança diariamente para que estejamos ainda mais preparadas para lidar com a inconveniência e o desgaste que a falta dessas características podem nos proporcionar.

Algumas mulheres têm medo de negociar e serem comparadas aos homens. “Lembre-se que aprender a jogar não significa se tornar uma mulher de calças. Mas tirar partido das características femininas que podem tornar o jogo bem interessante”, avalia.

Atualmente, os estudiosos concordam que as mulheres devem crescer apoiadas em suas qualidades essencialmente femininas. “Ser emocional não é um problema desde que essa característica não permeie todos os seus atos. Os líderes que ouvem seus seguidores costumam ter trajetórias de sucesso. Porém, esse mesmo líder emocio  nal, no caso, a mulher, não pode chorar em uma reunião onde for pressionada. “O importante é ter foco”, avalia.

Dicas para desenvolver a capacidade de negociar:

Estabeleça metas claras: Tudo o que você fizer em uma negociação deve se aproximar do seu desejo. Caso contrário, estará perdendo o seu tempo.

Coloque-se no lugar da pessoa: Conhecer a cabeça dos outros é um dos caminhos da persuasão. Não há como convencer o interlocutor sem saber o que ele pensa e quais suas necessidades.

Saiba que cada caso é um caso: Não é porque um pacto deu certo que outro também dará. Até com a mesma pessoa, os mesmos argumentos podem não surtir efeito num dia diferente. Trate cada situação como única.

Pratique a troca inteligente: descubra o que cada parte valoriza ou não. Depois negocie as coisas com as quais cada um se importa mais. Com uma boa comunicação é possível facilitar trocas e aumentar a confiança.

Descubra como o outro funciona: Quais são as regras, o histórico, a maneira de agir e de tomar decisões da pessoa? Use essas informações para obter o que quer. Quem tem menos conhecimento sobre a outra parte está mais vulnerável numa transação.

Seja transparente, não manipule: Não se deve enganar ninguém. Este é o caminho mais rápido para perder a credibilidade. Negociar claramente não significa ser fraco, mas ter a coragem de ser vulnerável. Negociar é saber criar confiança.

Comunique-se ao máximo: Diga e repita os seus argumentos até estar certa de que foi compreendida. Muitos negócios fracassam por má comunicação. As pessoas sedutoras não se cansam de afirmar o óbvio. Resuma o que está acontecendo e pergunte sobre os pontos que ainda não entraram em consenso.

Transforme o problema em oportunidade: Poucas pessoas descobrem ou resolvem a questão real que trava a negociação. Pergunte-se: o que está me impedindo de alcançar os meus objetivos? Identifique porque o outro age de determinada maneira.

Aceite as diferenças: A maioria das pessoas pensa que isso é sinônimo de problema. Mas o diferente pode ser melhor, mais criativo e mais lucrativo. Esteja disponível para ouvir ideias contrárias às suas.

Ouça antes de falar: Seja paciente e espere para descobrir o que a outra parte está querendo. Assim você terá mais chances de sustentar seus argumentos para que seja bom para os dois lados.

Quando tudo está perdido, ganhe alguma outra coisa: Se a negociação não está indo para nenhum lugar, e está tomando muito do seu tempo e da sua energia, você deve abandoná-la. Mas antes de fazer isso pense o que aprendeu com essa situação. Ao abandoná-la pode ter ganhado mais tempo para dedicar a outra atividade.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.