Entrevista Sara Fogaça, a encantadora de eventos



Uma entrevista franca e instrutiva com a profissional de eventos de Blumenau e Santa Catarina, Sara Fogaça.

– Quais foram os maiores aprendizados na área de eventos? O que a senhora pode destacar que surgiu de tantos relacionamentos humanos que presenciou?

Trabalhando na área de eventos há trinta e oito anos, acumulei muitas experiências e aprendi muitas lições e a maior delas é: “EVENTO não pega segunda época”.

Como assim?

O evento acontece no dia e na hora para o qual foi programado (salvo se for transferido por motivo de força maior). Assim…. tudo tem que acontecer naquele dia e naquela hora, nenhum material ou serviço pode atrasar ou ser deixado para o dia seguinte. Não há como oferecer mais quantidade do produto ou do serviço porque houve um problema e algo não chegou a tempo. Esse serviço ou esse produto não terá mais serventia, o evento já terá acabado.

Por isso, é muito importante que tudo seja muito bem planejado e que as empresas e profissionais a serem contratados sejam de extrema qualidade e de alto grau de compromisso. Na ocasião do evento, cabe ao organizador tomar decisões com muita precisão e agilidade. Nesse momento, na falta de alguma coisa ou de algum responsável por determinada tarefa, encontrar “culpados” não resolve o problema; o importante é encontrar soluções rápidas para contornar as falhas e tornar o evento possível. Somente depois de tudo acabar podemos nos preocupar com “quem” deveria ter feito “o que”.

Pode dar um exemplo, dona Sara?

Sim. Para ilustrar esse assunto, lembro-me bem que em um dos casamentos que organizei o pastor responsável pela celebração não compareceu ao evento. Coube a mim a decisão a ser tomada. Lembrei que o irmão do noivo (que tinha vindo de outra cidade) tinha o dom da oratória. Chamei-o, expliquei a situação e solicitei que conduzisse a cerimônia. Para surpresa dos noivos e de todos os convidados, foi uma das cerimônias mais bonitas que tive a oportunidade de assistir.

Teria uma grande lista, pois foram milhares de eventos, de “soluções” para contar, mas, como não quero me alongar, fico com esse porque a beleza do momento realmente me surpreendeu.

Por isso, volto a insistir: é muito importante organizar cuidadosamente cada detalhe, conferir e entrar em contato com todas as contratações de produto e de serviço para checar se estão certos de suas atribuições para a ocasião; mas se mesmo assim alguma coisa acontecer não perca tempo, providencie uma solução! Na maioria das vezes, somente você e o dono do evento saberão que houve alguma mudança.

Quais são os pontos que a senhora considera essenciais na organização de um evento?

Vou citar alguns. Os detalhes, na maioria das vezes, são os grandes diferencias dos eventos.

– É muito importante conhecer o convidado que vai participar do evento e saber o que esse público vem procurar nesse evento.

– O local onde será realizado o evento deve ser visitado com bastante antecedência para podermos analisar se ele é adequado para receber esse convidado.

– Fazer um levantamento de custos do evento e verificar se está dentro da expectativa do anfitrião.

– Sempre oferecer mais de um fornecedor de cada produto e/ou serviço para que o anfitrião possa ter mais opções na hora de fazer as contratações.

– É importante estar seguro quando indicar esses fornecedores.

– Tenha uma boa equipe de suporte, mas esteja com seu cliente nas decisões de cada detalhe.

O que a senhora pode destacar que surgiu de tantos relacionamentos humanos que presenciou?

De todos esses anos, o relacionamento com meus clientes e seus convidados me proporcionou maravilhosas experiências.

Meu amadurecimento como pessoa, como mulher e como profissional foi construído ao longo desses anos de trabalho à frente de eventos sociais e empresariais.

Durante esse período, me associei à CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Blumenau, vindo a ser a primeira mulher a fazer parte da entidade. Fui diretora do Convention e Visitor Bureau, Presidente do Conselho Municipal de Turismo, Representante da CDL no Conselho Municipal de Economia e participei do Associação de Soroptimistas e da Associação de Senhoras de Rotarianos. Representando essas entidades, pude participar de diversos projetos com o objetivo de contribuir para a construção de um mundo melhor.

Na minha familía, na minha empresa e em todas as entidades das quais participei, tive grande oportunidade de aprender e ensinar e dessa forma me sentir viva.

E, mesmo parecendo clichê, digo que diariamente podemos aprender ou ensinar algo, é só estarmos abertos e dispostos a isso.

– O que NUNCA pode faltar em um evento? Comente.

Para um evento, devemos contar com muitos itens e eles vão variar conforme o tipo.

Temos eventos sociais, empresariais, institucionais e culturais.

Em relação a eventos sociais, temos desde um simples piquenique até grandes celebrações de casamento e formaturas, entre outros. Em eventos empresariais, podem acontecer desde coffee breaks a grandes eventos corporativos. Eventos religiosos, desde batizados a grandes eventos ecumênicos e outras festividades. Eventos culturais podem ser um recital oferecido por professoras de música ou grandes eventos musicais com artistas de grande renome e assim vai.

E, para cada um deles, independentemente do tamanho, é imprescindível organização e esta deverá ter o grau de complexidade que se faz necessário a cada um dos eventos. Isso não pode faltar.

– O que NUNCA pode faltar em um espaço para eventos?

Limpeza, boa circulação de ar, iluminação adequada ao evento, segurança, bom acesso, área adequada ao tamanho do evento, bons profissionais .

– Qual a diferença entre as festas de antigamente e as de hoje? Comente o que mudou.

Principalmente as inovações.

Quando iniciei minha carreira nessa área, as festas contavam com menos elementos e itens de decoração e acessórios, mas não eram menos gostosas.

As festas infantis contavam com grandes painéis elaborados em isopor e com muita purpurina e as mesas eram feitas com fartas saias de papel crepon e camadas. As crianças ficavam ao redor dessa mesa no momento do parabéns e era ali que se alimentavam. Por isso, às vezes, as mesas tinham 20, 30 ou até 40 metros de contorno, já que cada criança ocupava pelo menos 40cm.

Brincadeiras eram feitas, como caça ao tesouro, furar o grande balão de onde caíam as balas e minúsculos brinquedos, brincadeiras de roda e pega pega. Não contávamos com brinquedos de pula-pula, piscina de bolinha e as demais novidades de hoje. Eram realizadas na casa do aniversariante ou em clubes.

As casas de festas e jogos eletrônicos iniciaram bem depois…

Já nos eventos sociais eram utilizados o mobiliário disponível no local da festa, a decoração consistia em boas toalhas de mesa e bonitos arranjos florais.

Para referências, importávamos revistas. Com o tempo, foram lançadas no Brasil revistas específicas de decorações tanto infantis como para casamentos e demais eventos.

As clientes chegavam e nós sugeríamos as decorações de acordo com as informações que elas nos davam sobre seus sonhos, e mostrávamos as revistas. Hoje, com o famoso Pinterest, todas já chegam com mil referências e pedidos. Muitas vezes, difícil é conciliar as solicitações com os orçamentos.

Também era utilizada a iluminação que o local dispunha, depois vieram os canhões de lâmpadas, para os quais utilizamos gelatina colorida para fazermos a iluminação cênica.
Enfim, foram mudanças muito significativas.

Mas eu diria que a maior diferença consiste em toda a tecnologia e oferta global de produtos, seja na área gastronômica, de decoração ou de efeitos de som.

Mas a essência das festas continua: confraternização, troca de informações, compartilhamento e, sobretudo, celebração à vida.

Como está o mercado de eventos?

Hoje, o ramo de eventos ocupa uma grande fatia no mercado econômico, gerando emprego e renda e atinge quase 5% do PIB nacional. Antes da crise gerada pelo Coronavírus, o setor de eventos vinha crescendo em torno de 14% ao ano, segundo dados recentes do Jornal Valor Econômico.

Outros dados são também atuais: “O saldo de empregos intermitentes foi de 85,7 mil vagas em 2019 e de 51,2 mil no ano anterior. O crescimento nesta modalidade foi de 34,5 mil empregos de um ano a outro. Assim, das 114,5 mil vagas a mais em 2019, 30% é explicado pelo emprego intermitente, no qual o trabalhador fica contratado, mas pode ser chamado ou não para trabalhar.”

Os eventos deixaram de ser feitos apenas em ações extremamente relevantes ou comemorativas. Atualmente, esse mercado vem crescendo a cada ano e as empresas estão apostando mais no mercado.

Cresceram as ofertas de serviços na área e as empresas apostam em novidades e muita qualidade e excelência de serviços para atender clientes cada dia mais exigentes e ávidos por novidades.

– Como você sente o relacionamento com os clientes atendidos?

Posso dizer que, ao longo de todos esses anos, meu trabalho me proporcionou muitos bons amigos. A relação com meus clientes sempre foi muito prazerosa, sempre os respeitei muito e sempre prestei muita atenção quando falavam sobre o que gostariam.

Para mim, o mais importante era captar o gosto, suas inseguranças e cada pequeno detalhe era considerado muito importante. Nunca me preocupei com quanto queriam investir ou qual suas origens ou contas bancárias.

O primordial era fazer o melhor para que a festa deles fosse exatamente ou mais do que me pediam. Qualquer número de convidados, qualquer local que dispunha para a realização do evento era levado em consideração e essa forma de atendê-los nos levou a iniciar amizades duradouras. Hoje, já atendo a terceira geração de muitas empresas e famílias e isso me dá muita alegria.

– A Magia de Natal de Blumenau não pode faltar nessa entrevista. Como você vê a evolução desse evento? Comente.

Eventos importantes na cidade, como Oktoberfest e Magia de Natal, fizeram e fazem parte da minha vida.

Em relação à Oktoberfest, participei da mesma desde a terceira edição. Durante vários anos, fiz a decoração de várias ruas da cidade, participei da decoração de pavilhão e de muitos camarotes. Foi um grande e prazeroso aprendizado.

A MAGIA DE NATAL, posso dizer que faz parte de mim.

Desde 2008, quando a cidade foi assolada por uma grande tragédia, enchente e deslizamentos, representando a CDL, fiz parte do grupo que idealizou e deu início ao NATAL ALLES BLAU.

A cidade estava destruída e a população desanimada, algo precisava ser feito e na ocasião organizamos um grande desfile.

Esse desfile foi emocionante, mais de mil pessoas desfilaram e emocionaram milhares que assistiram ao desfile incrédulas.

Na ocasião, foram feitos também outros eventos que ficaram marcados na memória de quem participou. Em 2009, com o crescimento dos eventos, a organização do natal em Blumenau precisou ser ampliada e profissionalizada. Assim, em 2010 vimos a necessidade de fazermos um planejamento e traçar metas para o evento para que o mesmo passasse a ser referência não só na nossa região mas ser o maior evento de Natal em Santa Catarina e também uma referência nacional.

Como fruto desse planejamento, mudamos o nome para MAGIA DE NATAL e ampliamos a decoração, incluindo ruas e praças da cidade.

Os desfiles, liderados pela minha amiga Marion Bubeck, de quem sou fã incondicional, saíram da rua XV de Novembro e passaram a acontecer na Rua Alberto Stein.

Vale, aqui, ressaltar que essa mudança proporcionou uma radical mudança no Parque Vila Germânica, que até o momento era lembrado somente como sede da Oktoberfest ou de grandes feiras.

As lojas comerciais, bares e restaurantes que tinham dificuldade de sobreviver foram “descobertos” pelos blumenauenses que, em vez de irem para suas casas após os desfiles, entravam no Parque para ver a decoração e frequentavam barzinhos, restaurantes e lojas.

A partir dali, a taxa de ocupação desses estabelecimentos passou a ser anual e as melhorias feitas desde então são relevantes.

E a Magia de Natal cresceu ano após ano e, em 2014, a CDL deixou de ser responsável pela organização e a transferiu para a ABLUTEC (Associação Blumenauense de Turismo, Eventos e Cultura), que passou a dar mais dinâmica ao projeto. A partir daí, a qualidade dos eventos e o público visitante aumentou muito.

A Magia de Natal passou a ser responsável pelo aumento significativo da taxa de hospedagem da nossa rede hoteleira.

A Magia de Natal se diferencia de outros eventos de natal pela qualidade e pela pesquisa que fazemos com referência no Natal Europeu, origem de nossos colonizadores, tanto para os desfiles como para a decoração da Vila de Natal.

Mas a Magia de Natal, para mim, faz parte de minha vida, traz recordação da infância, da paixão que minha mãe tinha pelo Natal e por tudo nele envolvido.

Cresci com histórias de Natal. Nós, desde pequenos, ajudávamos na decoração da casa e ao longo dos anos era o evento aguardado ansiosamente por cada um de nós.

Somos em oito irmãos e passamos todos os Natais juntos desde que nascemos até o falecimento de minha mãe, treze anos atrás. Vivenciar o Natal, relembrar do nascimento de Jesus e poder transmitir essa alegria para minha família é simplesmente divino.

Site:
www.sarafogacaeventos.com.br

Entrevista a Manoel Fernandes Neto

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.