FAPESC libera recursos a projetos de inovação para empresas de todas as áreas



A Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC) apresentou, no dia 14 de outubro, o edital do Programa TECNOVA SC II para empresas catarinenses.

O programa vai escolher de 25 a 40 empresas do Estado, cujo faturamento em 2018 não ultrapasse R$16 milhões, para receber apoio financeiro na forma de subvenção econômica para seus projetos de inovação. Os recursos financeiros serão “não reembolsáveis”. Ou seja, sem necessidade de restituição.

O financiamento terá um valor global de R$ 7.500.000,00 (sete milhões e quinhentos mil reais). Cada projeto poderá requerer de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais) a R$ 300.000,00 (trezentos mil reais).

A consultora Ilisangela Mais, da empresa Prana (www.prana.adm.br), destaca a importância de ter claro a abrangência do termo inovação. “Inovar não é somente para empresas de tecnologias e startups. Está relacionado essencialmente a novos produtos, serviços, modelos de negócios, de comunicação. O essencial é impactar positivamente o seu segmento.” afirma Ilisangela.

No caso específico da chamada da FAPESC, os principais critérios de avaliação estão relacionados ao grau de inovação, risco tecnológico e qualidade da equipe executora. O governo quer apoiar aqueles projetos com alto potencial de desenvolvimento tecnológico, nos quais os empresários percebem maior risco no processo, justamente por serem mais disruptivos para o mercado e exigirem mais investigação e estudo para chegar ao produto/serviço que se pretende desenvolver.

Com a entrega dos projetos com data limite de 29/11/2019, conforme explicação detalhada que consta no edital, destaca-se o prazo curto para preparação das propostas, bem como, a própria avaliação, pela empresa, se o projeto pode ser classificado como inovação. “A pergunta que deve ser feita pelas empresas é: ‘Minha inovação cria valor para o meu cliente /usuário /sociedade?’”, explica a consultora

“Destaco duas características para projetos de inovação. 1. Aprendizado no processo: se for apenas compra de tecnologia, a inovação está no fornecedor e não no comprador. 2. Novas competências: todo projeto de inovação deve focar em entregar ao mercado competências que ela não detinha antes, seja na forma de produtos, processos, serviços ou modelos de negócios.”, conclui Ilisangela.

Veja agora os temas que serão apoiados com recursos pela Fapesc:

1. Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) – Temas: desenvolvimento de
dispositivos, equipamentos ou sistemas inovadores de comunicação, gestão e/ou produção e inovações voltadas às áreas de saúde, educação, segurança pública (procedimentos investigatórios, recursos oitivas com transcrição e análise, tecnologia de imagens, estruturação automática, croquis virtuais, softwares e processos operacionais em unidades socioeducativas e prisionais), mobilidade urbana, tecnologia de gestão e informação, governo eletrônico, circuitos integrados, componentes e dispositivos eletrônicos, optoeletrônicos, ferroelétricos e microeletromecânicos (MEMs).

2. Saúde – Temas: desenvolvimento de dispositivos de uso em saúde humana considerados de importância estratégica para o Sistema Único de Saúde (SUS), como equipamentos para diagnose por imagens, diagnose in vitro, acessórios e tecnologias para acessibilidade; desenvolvimento de inovações que contribuam para a produção nacional de insumos, dispositivos, equipamentos, materiais, moléculas, biomarcadores, medicamentos e processos farmacêuticos ativos para uso no tratamento de doenças infecciosas, crônicas, degenerativas e/ou genéticas.

3. Inovação, Diversificação e Competitividade – Temas: desenvolvimento de dispositivos,
materiais, equipamentos e/ou bens de capital inovadores capazes de fortalecer a qualidade, a inserção ou a diversificação de produtos e/ou a competitividade dos serviços na indústria catarinense; transporte e logística para setor portuário.

4. Cadeia produtiva de alimentos – Temas: agronegócios, cooperativismo, produção e
segurança alimentar, defesa agropecuária, fruticultura, agricultura precisão, agricultura familiar, sistemas e cadeias produtivas e produção mais limpa; desenvolvimento de pesquisas, dispositivos, materiais, equipamentos e/ou bens de capital inovadores, claramente capazes de fortalecer a qualidade, a inserção ou diversificação de produtos e/ou a competitividade da cadeia produtiva de alimentos catarinense.

5. Gestão Pública e Turismo – Temas: tecnologias, indicadores e produtos para melhoria da
eficiência e da qualidade da gestão pública; processos e serviços nos sistemas de gestão, controladoria.

Faça o download do edital

Faça o download do edital

Para mais informações:
www.prana.adm.br
WhatsApp: 47 9103-1732

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.